• img_6731
  • fullsizerender-2

Perdendo o medo de dirigir nos EUA

Eu imagino que você pensou,

… Mas eu não tenho medo de dirigir nos EUA,… eu já dirigia no Brasil!

Engana-se, porque todas as Au Pairs realmente têm medo de dirigir aqui – pelo menos pela primeira vez.
Sabe aquele frio na barriga que você sente quando vai prestar a prova prática? Engraçado pensar assim, mas você passa por isso tudo de novo na terra do tio Sam também.

Muitas meninas possuem anos de prática no volante, mas nem por isso são perfeitas. Ao fazerem o teste, felizmente a maioria sai vitoriosa, enquanto outras mesmo com anos de experiência ainda assim falham.
E você pode me perguntar: “Mas qual é o problema, então?”
Na verdade não há problema. O que atrapalha e as prejudica de verdade é o nervosismo.
E porque isso acontece? Por causa do intercâmbio.

fullsizerender-2Existem dois tipos de Au Pairs: a motorista profissinal e a motorista desmotivada.
A profissional confia nela mesma, é atenta ao transito e suas leis, nunca pegou multa ou bateu o carro e ainda sorri na foto da drive license.
Quanto a desmotivada, não gosta de usar o cinto, odeia carros manuais ou sem direção hidráulica, chora toda vez que alguém a xinga no trânsito e por vezes até coleciona multas, e é evidentemente infeliz na foto da carta.
O interessante é notar que elas possuem algo em comum: o medo.

Por vezes o medo é inimigo delas, até porque são seres humanos e têm esse direito.  Não é fácil começar a dirigir em um outro pais, com outras regras de trânsito e outros estilos de carros. O nervosismo é o primeiro motivo, seguido do medo e da aflição. Pode parecer maluco, mas é estressante, pois você é pressionado a dirigir, e você ainda tem uma mega responsabilidade de carregar as criaturas mais indefesas do mundo, que ainda por cima nem são suas.

Surge então a dúvida se você é capaz de fazer o teste ou não.
E quando você falha muitas vezes, acontece até o rematch.
Triste notar que por todos os problemas que ocorrem, a única saída é sempre o temido rematch (já falado sobre ele AQUI) E então seus sonhos caem por agua abaixo e você se sente incapaz de continuar, pois teme que ocorra novamente.

img_6731Já vi vários casos de meninas que reprovam nas provas práticas e foram diretamente, sem dó nem piedade colocadas em rematch. Outras em que a host family apoiou e encorajou sem qualquer tipo de pressão ou desmotivação. Cada um faz do jeito que acha melhor, mais uma coisa muitos não entendem: Au pair é uma pessoa com coração, sentimentos e falhas.
Errar é algo normal, faz parte do ser humano e sempre acontece. Não se deixe enganar, não existe motorista perfeito ou ruim demais, existe o motorista com medo. Independente se ela é profissional ou desmotivada, ambas passam pela mesma situação. A única diferença é como elas lidam com isso. A palavra que eu uso para caracterizar isso é determinação.

Sei que não é facil ter que fazer outra prova, uma, duas ou três vezes para ter uma carta provisória. Mas sabe o que vale a pena depois de tudo? É perceber o quanto você foi valente e lutou até o final, mesmo depois de muita pressão e se descabelar loucamente.
Assim como coisas boas passam pela nossa vida, as coisas ruins também. O melhor de tudo é saber que os seus fracassos te fizeram vencer. Você não tem que mostrar isso pra ninguém, mas pra você mesma, e então perceber o quanto você pode fazer acontecer.

Medo todos temos. Dirigir não é uma prova de fogo, mas pode prejudicar muitos psicologicamente. Saiba que tem alguém que olha por você e te protege, mostrando exatamente o que você deve fazer ou não.
Confie em Deus e em você, que o seu medo sem dúvidas se transformará em coragem e comprometimento.
Esse ano é seu e de mais ninguém: viva, curta, chore, grite e lembre-se que se você quer, você pode.


image1Ana Carolina Alcantara
Biografia:
Nasceu em São Paulo capital é Advogada, formada na Universidade São Francisco, estagiou na Receita Federal do Brasil e no Tribunal de Justica do Estado de São Paulo; Atriz cursando teatro na USF, já apresentou 5 peças, dentre elas “Família quase vende tudo” ao qual estrelou e participou na produção da peça. Formada no curso de corretor de imóveis, atualmente cursa Direito Constitucional na Universidade de Stanford, Califórnia, foi professora voluntária de inglês e gramática em projetos sociais, atualmente trabalha como Au pair nos Estados Unidos. Tempos livre gosta de ler e escrever; escreveu um livro de romance ainda não publicado, inspirado no seu escritor favorito Nicholas Sparks. Gosta de cantar e aprender coisas novas. Apaixonada por música, teatro, cinema e moda.

Add your comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *